Atendimento humanizado é a nossa imagem

Humani - atendimento humanizado

A valorização do paciente é a base do atendimento humanizado.

O conceito de humanização na medicina não é algo novo como muitos possam imaginar. Hipócrates, em 460 AC, já vaticinava: “As doenças não são consideradas isoladamente e como um problema especial, mas é no homem vítima da enfermidade, com toda a natureza que o rodeia, com todas as leis universais que a regem e com a qualidade individual dele, que [o médico] se fixa com segura visão.” Valorizar o doente e não a doença e seus sintomas gera uma significativa mudança no vínculo médico-paciente com repercussões positivas tanto no diagnóstico quanto no tratamento do paciente.

Humanizar o atendimento é uma tarefa difícil, processual e dinâmica e não pode se resumir apenas a uma abordagem gentil. Faz-se necessário que o atendimento de excelência contemple também a competência e ética profissional e o uso de recursos materiais de última geração.

Para nós, da clínica Humani, promover saúde e humanizar a sua atenção assume total protagonismo na construção do vínculo médico-paciente, pautando-se para tal, na qualidade e na excelência do atendimento.

Fonte:

Alves, ANO, Moreira, SNT, Azevedo, GD, Rocha, VM, Vilar, MJ. A humanização e a formação médica na perspectiva dos estudantes de medicina da UFRN-Natal-RN-Brasil. Rev Bras Educ Med. 2009;33(4):555-561.

Caprara, A, Franco, ALS. A relação paciente-médico: para uma humanização da prática médica. Cad. Saúde Pública. 1999;15 (3),647-654.

Imagem: Fotolia

Puberdade Precoce Nas Meninas

puberdade-precoceA ultrassonografia pélvica é considerada o exame de imagem de escolha na avaliação dos casos de puberdade precoce feminina.

A puberdade precoce feminina é determinada pelo desenvolvimento de caracteres sexuais secundários antes dos 8 anos de idade em decorrência da ativação inapropriada do eixo hipotálamo-hipófise que representa a interface entre o cérebro e o sistema endócrino ou das glândulas adrenais e ovários. Esta alteração usualmente ocasiona sentimento de inadequação social e repercussão na estatura das crianças acometidas, além de gerar grande ansiedade nos pais.

A ultrassonografia é considerada a modalidade de imagem de escolha no estudo da pelve feminina pediátrica, por ser um exame não-invasivo, rápido e confiável na avaliação dos volumes uterino e ovariano, no estudo do endométrio, dos folículos ovarianos e das artérias uterinas, parâmetros importantes no diagnóstico e na avaliação do tratamento das crianças com desenvolvimento sexual precoce.

Fonte:
De Vries L, Phillip M. Role of pelvic ultrasound in girls with precocius puberty. Horm Res Paediatr, 2011;75:148–152.
Eksioglu, A. S., Yilmaz, S., Cetinkaya, S., Cinar, G., Yildiz, Y. T. and Aycan, Z. (2013), Value of pelvic sonography in the diagnosis of various forms of precocious puberty in girls. J. Clin. Ultrasound, 41: 84–93. doi: 10.1002/jcu.22004.
Chung, EM, Biko, DM, (…), Conran, RM. From the radiologic pathology archives: precocious puberty: Radiologic-pathologic correlation. Radiographics. 2012;32(7):2071-99.
Imagem: Fotolia

HD Live – Uma Nova Fronteira Na Ultrassonografia

O software HD live existente nos aparelhos de ultrassonografia mais modernos permite estudar minuciosamente os detalhes do feto e da anatomia pélvica feminina.

A reconstrução 3D/4D é um recurso diagnóstico cada vez mais utilizado tanto na ginecologia quanto na obstetrícia, embora muitos ainda acreditem que esta tecnologia seja apenas de uso meramente estético, para apreciação das imagens. Muito além do que apenas mostrar o rostinho do bebê com uma definição e grau de detalhamento impressionantes, essa técnica permite, por exemplo, acompanhar com imagens realísticas a evolução embrionária, a formação e desenvolvimento dos membros, genitália e coluna vertebral bem como auxiliar na detecção de malformações fetais.

O desenvolvimento do software conhecido como HD live permitiu um melhor tratamento das imagens 3D com maior definição da superfície estudada e melhor noção de profundidade.

3D HD live

Imagem em 3D utilizando o software HD live em um embrião de 8 semanas e 2 dias. A qualidade da imagem e a noção de profundidade deste software permitem uma melhor observação das estruturas que devem estar presentes nessa idade gestacional.

HD Live - Ultrassonografia

Feto com 13 semanas e 2 dias. A textura mais realística e a opção de controlar a luminosidade conferindo uma melhor noção de profundidade permitem uma resolução que se assemelha à encontrada in vivo.

face21

Detalhes da face de um feto com 21 semanas e 5 dias utilizando-se o software HD Live.

Fonte: Araújo JR, E, Santana, EMF, Nardozza, LMM, Moron, AF. Avaliação do embrião/feto ao longo da gestação por meio da ultrassonografia tridimensional com o software HD live: ensaio iconográfico. Radiol Bras. 2015;48 (1):52:55.

Mãe Obesa e Diabética x Autismo

obesidade na gravidezEstudo indica que a prevenção do autismo está na dependência do controle do peso e do diabetes tanto antes quanto durante a gravidez.

Estudo conduzido pela prestigiosa universidade americana John Hopkins e publicado em fevereiro deste ano na revista Pediatrics, relatou a associação entre diabetes e obesidade materna com o aumento de casos de transtornos do espectro autista (TEA).

Os pesquisadores acompanharam o desenvolvimento de 2.734  crianças entre 1998 e 2014, do nascimento até a infância e encontraram 102 casos categorizados como TEA. Observaram que mães com diagnóstico de obesidade associada a diabetes, não importando se esta combinação estava presente antes ou durante a gravidez, apresentavam um risco 4 vezes maior para ter filhos com TEA comparando-se com mães que não eram portadoras, concomitantemente, destas alterações metabólicas.

Embora os mecanismos que levem ao aumento dos casos de TEA em mães que exibem simultaneamente obesidade e diabetes ainda sejam obscuros, acredita-se que estas desordens metabólicas maternas quando associadas ocasionem tanto um processo inflamatório no cérebro fetal, como redução dos níveis de folato, que é uma vitamina essencial para o desenvolvimento neurológico do bebê.

Fonte: The association of maternal obesity and diabetes with autism and other developmental disabilities. Hong X., Wang G., Wang M.-C., Zuckerman B., Wang X., Li M., Fallin M.D., (…), Dahm J.L.Pediatrics, 2016;137(2).

Imagem: Fotolia

Ultrassonografia das Regiões Axilares

ultrassonografiaA análise ultrassonográfica dos linfonodos axilares (estruturas responsáveis pela defesa do organismo) nos casos suspeitos e confirmados de câncer de mama é essencial na avaliação do prognóstico e na programação do tratamento oncológico.

A análise das regiões axilares é parte indissociável do estudo ultrassonográfico das mamas, sobretudo nas pacientes onde foi identificada lesão suspeita ou confirmada de malignidade. A ultrassonografia isoladamente ou associada ao estudo Doppler e elastográfico dos linfonodos axilares, permite avaliar se há suspeita de acometimento metastático, importante informação na programação do tratamento e  no estabelecimento do prognóstico do câncer de mama. A ultrassonografia permite ainda a execução de punção guiada tanto por agulha fina quanto por agulha grossa para estudo histopatológico, que em última instância, definirá o diagnóstico.

Fonte:
Pinheiro, DJPC, Elias S, Nazário ACP. Linfonodos axilares em pacientes com câncer de mama: avaliação ultrassonográfica. Radiol Bras. 2014 Jul/Ago;47(4):240–244.
Serban,N.Ultrasound axilary imaging. Mammography techniques and review. http://dx.doi.org/10.5772/59730.

Imagem: Fotolia