Hemangioma Infantil

hemangioma

Você sabia que manchas avermelhadas na pele de recém-nascidos e crianças podem ser hemangiomas e que a ultrassonografia é um excelente exame para o diagnóstico dessas alterações?

O hemangioma é uma nodulação muito comum em recém-nascidos e crianças principalmente do sexo feminino, formada por um emaranhado de pequenos vasos dos tecidos moles como a pele e gordura subcutânea. Ocasionam pequenas elevações da pele geralmente de coloração avermelhada, algumas exibindo crescimento acelerado sendo encontradas em qualquer local do corpo. Podem ser únicas ou múltiplas, em alguns casos regridem espontaneamente, em outros é necessário instituir tratamento especializado.

A ultrassonografia identifica as nodulações e o estudo Doppler mostra o preenchimento de sangue nas manobras de esforço ou à compressão e descompressão da sonda sendo o exame de primeira linha para o diagnóstico destas lesões.

Fonte:
Fordhan, LA, Chung, CI, Donnelly, LF. Imaging of congenital vascular and lymphatic anomalies of the head and neck. Neuro Imaging Clin North Am 2000;10:117-136.

Imagem: Fotolia

Implante de Silicone e Câncer de Mama

siliconeO silicone pode aumentar o risco ou dificultar o diagnóstico do câncer de mama? Essas são algumas das principais dúvidas sobre o tema.

A cirurgia para aumentar o tamanho das mamas através da colocação de implantes de silicone é o procedimento cirúrgico estético mais popular no Brasil. Estudos epidemiológicos em todo o mundo indicam que este procedimento não aumenta o risco para câncer de mama.

A mamografia é o exame de rastreio para o câncer de mama em mulheres acima dos 40 anos, independentemente se possuem ou não silicone. No entanto, o silicone pode obscurecer lesões malignas em estágio inicial devido a dificuldade de exposição adequada da glândula. Técnicas radiológicas adicionais têm sido utilizadas para melhorar a visualização do tecido mamário pela mamografia, mas, mesmo assim, cerca de um terço das mamas com silicone ainda não serão bem avaliadas por esta técnica.

A ressonância magnética e a ultrassonografia são métodos de imagem que podem ser utilizados para melhorar a acuidade da detecção do câncer de mama nestas pacientes.

Fonte:
Lavigne, E, Holoway, E, Yi Pan, S, Villeneuve, PJ, Johnson, KC, Fergusson, DA, Morrison, H, Erisson, J. Breast cancer detection and survival among women with cosmetic breast implants: systematic review and meta-analysis of observational studies. BMJ 2013;346:f2399.
Louveira, MH, Castro, IM, Souza, LRMF, Freitas, AG, Szenjfeld, J, Kemp, C. Avaliação da mama com implante pelos diversos métodos de imagem (mamografia, ultrassonografia e ressonância magnética). Rev Imagem 2003;25(3):185-194.

Imagem: Fotolia

Mão Fetal – 7 fatos importantes

mão fetal

Malformações nas mãos do feto podem estar relacionadas a síndromes e alterações cromossômicas.

1. A mão fetal  incluindo a avaliação completa dos dedos já pode ser realizada desde o primeiro exame morfológico (12 – 14 semanas de gestação).

2. Durante a primeira metade da gravidez o feto geralmente mantém as mãos abertas com extensão dos dedos.

3. Na segunda metade da gravidez ele pode manter as mãos fechados por períodos de até 30 minutos, o que limita uma avaliação mais detalhada.

4. A detecção de anormalidade nas mãos está relacionada a alteração cromossômicas ou a uma sequência de malformações em até 60% dos casos.

5. A alteração mais frequente das mãos é a polidactilia que é a presença de dedos adicionais, sendo usualmente um achado isolado mas que pode também estar relacionada a síndromes e alterações cromossômicas.

6. A avaliação da mão fetal pode predizer o bem estar do bebê a partir da segunda metade da gravidez. Mãos fechadas indicam tônus fetal preservado, em outras palavras um aporte adequado de gás oxigênio.

7. A técnica 3D/4D proporciona uma visão detalhada da mão fetal.

 

Microcefalia – Um Tema Delicado

microcefalia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) emitiram desde o dia primeiro de Dezembro um alerta mundial sobre a epidemia ocasionada pelo vírus Zika e suas implicações tanto no que tange às medidas necessárias para o diagnóstico sorológico quanto aquelas relacionadas ao atendimento à gestante e as complicações neurológicas fetais.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde (MS) 1.761 casos suspeitos de microcefalia estão aguardando confirmação diagnóstica. No Maranhão, 37 casos já foram notificados com 1 óbito.

Só recentemente, foi estabelecida a relação entre o  vírus Zika e microcefalia. Acredita-se que o risco esteja associado aos primeiros três meses de gravidez. Contudo,  segundo o informe epidemiológico do próprio MS, muitas questões ainda permanecem obscuras como por exemplo: “o mecanismo de atuação deste vírus no organismo humano, como a infecção é transmitida para o feto e qual o período de maior vulnerabilidade para a gestante”.

Ações recomendadas para as gestantes e mulheres em idade fértil:

  • Evitar contato com pessoas com febre, exantemas ou infecções;
  • Até que se esclareçam as causas desse aumento, as mulheres que planejam engravidar devem conversar com a equipe de saúde de sua confiança;
  • Não há uma recomendação para evitar a gravidez. A decisão de uma gestação é individual de cada mulher e sua família;
  • Adotar medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doenças;
  • Controle do mosquito, sendo de extrema importância a manutenção do quadro de agentes de endemias no território, garantindo assim, a cobertura de visitas domiciliares;
  • Uso de repelentes de acordo com as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária/ANVISA.

Fonte:

Portal da saúde – SUS-Ministério da Saúde e Protocolo Clínico e Epidemiológico Microcefalia – Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco.
Imagem: Fotolia

Post atualizado em 9 de Dezembro às 9:43h.

Prematuridade: saiba mais

PrematuridadeDia 17/11 é comemorado o Dia Mundial da Prematuridade. Veja abaixo sete informações importantes sobre o tema:

  • Um em cada dez bebês nasce prematuro.
  • A prematuridade é a principal causa de morte entre crianças abaixo de 5 anos.
  • A OMS considera prematuros os bebês que nascem com menos de 37 semanas.
  • Cerca de 15 milhões de bebês prematuros nascem a cada ano em todo o mundo.
  • O Brasil é o 10° país com maior número de casos de prematuros em números absolutos.
  • A doença periodontal é um relevante fator de risco para prematuridade.
  • Stress, tabagismo, uso de drogas ilícitas e infecções aumentam o risco para o parto prematuro.

Fonte: OMS
Imagem: Fotolia